segunda-feira, 20 de novembro de 2017

“Insultos e ameaças à parte, estou a gostar da discussão sobre - a morte anunciada da democracia interna no PAIGC.


A Resolução do Comité Central não diz, mas devia dizer, que o Guião para as Conferências onde constam os sinais do regime que dizemos estar a combater na Guiné Bissau, não foi aprovado por unanimidade... eu votei vencido!

No Comité Central fiz rasgados elogios às partes positivas e severas críticas às partes negativas do Guião. Por exemplo, elogiei a redacção inteligente sobre o equilíbrio do género e critiquei o retrocesso democrático - proibição de listas para concorrer contra a lista da direcção e a eliminação do voto secreto.

A verdade que não se consegue desmentir. PELA PRIMEIRA VEZ foram proibidas listas alternativas. Ou seja, desta vez, SÓ A DIRECÇÂO PODE APRESENTAR LISTAS, ninguém pode apresentar listas para concorrer contra a lista da direcção! Como se não bastasse, a lista que a direccção apresentar tem que ser votada braço no ar (o voto livre e secreto foi proibido).

Na prática a “eleição democrática” das estruturas de base e dos delegados ao IX Congresso Ordinário vai ser assim: Quem está contra a lista apresentada pela direcção que levante a mão...

Algumas questões para reflexão conjunta:

1- Se não houve alteração dos Estatutos como e porquê que se havia de alterar a forma de eleição?

2- Se a actual direcção do PAIGC foi eleita com listas que concorreram contra a anterior direcção (com voto livre e secreto), porquê que hoje a direcção proíbe que sejam apresentadas listas para concorrer contra a sua lista e proíbe o voto secreto?

3- É legítimo à direcção PAIGC alterar as regras do jogo a dois meses do Congresso?

4- Os que manifestam estas preocupações democráticas são contra o Partido ou são contra prática anti-democráticas no Partido? É legítimo serem perseguidos e afastados?

5- Isso é democrático?

Para alguns é democrático para outros não é democrático. Como em democracia todas as opiniões são válidas e como somos todos democratas, vamos gritar bem alto, abaixo a ditadura!

# No bai... Militantes i ka lixo! 
“ O. Lopes

Conosaba/faladepapagaio

NAZARETH VIEIRA: "O SR. OLIVAIS DEVE, EM BREVE, TORNAR NOVO PRIMEIRO-MINISTRO"




Traduzido - Francês/Português

Nazaré Vieira, uma das viúvas de João Bernardo Vieira, vive em França, mas continua profundamente preocupada com o futuro do seu país, a Guiné-Bissau, que tem enfrentado instabilidade política há mais de dois anos. 

Recentemente, várias pessoas que se opuseram ao regime de José Mario Vaz e de uma coligação de 17 partidos políticos demonstraram exigir a implementação dos acordos de Conakry, a renúncia do chefe de Estado, a dissolução do governo de Umaro Sissoco Embalo e a organização de eleições gerais. 

Nesta entrevista, Nazareth Vieira pede ao presidente José Mário Vaz que dê prioridade ao diálogo com o objetivo de acabar com a crise política. Ela também pede que Augusto Olivais seja nomeado o novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau "em pouco tempo".

Conosaba/.infos15.com

Em Francês:
NAZARETH VIEIRA : « M. OLIVAIS DOIT, DANS UN BREF DELAI, DEVENIR LE NOUVEAU PREMIER MINISTRE »
Nazareth Vieira, une des veuves de João Bernardo Vieira, vit en France, mais reste foncièrement préoccupée par l’avenir de son pays, la Guinée-Bissau, qui est confronté à une instabilité politique depuis plus de deux ans maintenant. Récemment, plusieurs milliers de personnes opposées au régime de José Mario Vaz et issues d'une coalition de 17 partis politiques ont manifesté pour exiger la mise en œuvre des accords de Conakry, la démission du chef de l'Etat, la dissolution du gouvernement Umaro Sissoco Embalo et l'organisation d'élections générales. Dans cet entretien, Nazareth Vieira demande au président José Mario Vaz de privilégier le dialogue en vue de mettre fin à la crise politique. Elle demande également qu’Augusto Olivais soit nommé Premier ministre « dans un bref délai ». La veuve de João Bernardo Vieira s’est aussi prononcée sur le retour annoncé en Guinée-Bissau de l’ancien Premier ministre Carlos Gomes Junior.

EMPRESÁRIOS PORTUGUESES EM BISSAU SÃO "LUFADA DE AR FRESCO"



O presidente Câmara do Comércio, Agricultura, Indústria e Serviços da Guiné-Bissau, Braima Camará, destacou que o número de empresários presentes na Feira da Empresas, que hoje começou, em Bissau, representa uma "lufada de ar fresco".

Mais de 30 empresários, a maior parte dos quais portugueses, participam na Feira de Empresas, que decorre até terça-feira numa unidade hoteleira de Bissau, para discutir oportunidades de negócios.

"A presença de várias empresas portuguesas aqui representa em certa medida uma lufada de ar fresco neste ambiente estagnado, comercialmente falando", afirmou, aos jornalistas, Braima Camará.

A feira foi organizada pelo Instituto de Formação Profissional da CE-CPLP e no âmbito de uma parceria entre a União Europeia, a Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP), o Ministério da Economia e Finanças guineense, do AICEP-Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal e da Câmara do Comércio Agricultura, Indústria e Serviços da Guiné-Bissau.

"Penso que com esta exposição fica claro que o país encontrou o rumo certo para que os empresários nacionais e estrangeiros possam encontrar na Guiné-Bissau um mercado de destino para fazer as suas atividades empresariais, investimentos em diversas áreas, para que possamos ganhar dinheiro", disse.

Nas declarações aos jornalistas, Braima Camará recordou que a Guiné-Bissau faz parte da União Económica e Monetária da África Ocidental, que representa um mercado de mais de 200 milhões de consumidores.

Conosaba/Lusa

GOVERNO DE JAPÃO DOA 1 BILHÃO DE FRANCOS cfa PARA CANTINAS ESCOLARES DA GUINÉ-BISSAU



O governo japonês e o Programa Alimentar Mundial (PAM) sediada na Guiné-Bissau rubricaram esta segunda-feira (20 de Novembro) um acordo de cooperação orçado em 1 bilhão e 300 milhões de francos CFA para apoiar o programa cantina escolar e tratamento da desnutrição.

O acordo foi assinado pela conselheira da embaixada de Japão e a representante do PAM no país na presença do ministro dos negócios estrangeiros.

Após a assinatura, o ministro Jorge Malu reconheceu que a contribuição dessas instituições vai permitir a criação de condições para a estabilidade. A estabilidade politica e a segurança alimentar são dois elementos essenciais para o desenvolvimento sustentável. Essa vossa contribuição vai criar condições para que haja estabilidade necessária”.

Para a representante do PAM no país Kiwumi Kawaguchi apoio contribuirá para tratamento da desnutrição aguda moderada de mais de 2 mil crianças de 6 a 59 meses em Oio, Bafatá e Gabú, consideradas regiões com maiores índices de desnutrição no país.

Por outro lado assegurou que PAM nos últimos dez anos tem contribuído para o programa da cantina escolar com mais de 173.000 alunos em mais de 750 escolas representando aproximadamente 60% do total de alunos matriculados em escolas primárias em oito das nove regiões do país, excepto capital Bissau.

Entretanto, a representante do governo de Japão Keiko Egusa sublinha que o financiamento visa apoiar esforço do governo para garantir fortalecimento de bases de desenvolvimento económico e social do país. “ A própria Guiné-Bissau passou por tempos difíceis de uma maneira diferente, tendo enfrentado e até muito recentemente te várias crises politicas. No entanto, a estabilidade politica e a segurança alimentar são dois elementos essenciais para o desenvolvimento sustentável de um país”, acrescenta.

Segundo dados de PAM, estima-se que 70 mil pessoas em 200 comunidades serão beneficiadas directamente com esse apoio durante 2018 incluindo 50 mil crianças em idade escolar.

Por: Nautaran Marcos Có/radiosolmansi com Conosaba

ROBERT MUGABE ACEITA RESIGNAR AO CARGO DE PRESIDENTE. CARTA ESTÁ ASSINADA


O presidente assinou a carta de renúncia em troca de imunidade.

Opresidente do Zimbabué, Robert Mugabe, terá aceitado resignar ao cargo em que se encontra há 37 anos e, segundo a CNN, já terá escrito a sua carta de renúncia.

De acordo com a televisão norte-americana, uma fonte familiar garantiu que como moeda de troca terá sido exigida imunidade para Mugabe e para a sua mulher.

Recorde-se que o casal foi detido na semana passada pelas autoridades do país durante uma ação político-militar que teve as características de um golpe de Estado.

Além do presidente e da sua esposa, foram também detidos ou colocados sob prisão domiciliária grande parte dos membros do executivo.

Ontem, numa comunicação ao país, Mugabe não só não renunciou ao cargo, que ocupa há 37 anos, como ainda se comprometeu a "melhorar as condições sociais e materiais" dos zimbabueanos.

O partido ZANU-PF fez saber, então, que avançaria com um processo de destituição caso Mugabe não resignasse até esta segunda-feira de manhã.

No discurso, transmitido pela televisão pública, Robert Mugabe não fez qualquer menção à demissão dentro do partido e reafirmou que irá liderar o congresso partidário marcado para os dias 12 a 17 de dezembro.

Horas antes de Robert Mugabe discursar, o ex-militar Chris Mutsvangwa, líder de uma associação de veteranos de guerra, disse que poderão ocorrer mais protestos nas ruas caso o político não renunciasse e receia que os militares possam fazer uso das armas contra o povo do Zimbabué.

Além de ter demitido Mugabe, o partido ZANU-PF nomeou o antigo vice-Presidente, Emmerson Mnangagwa, como novo líder e candidato para as próximas eleições presidenciais.

Conosaba/noticiasaominuto

ANGOLA: JOÃO LOURENÇO EXONERA COMANDANTE DA POLÍCIA E CHEFE DA SECRETA MILITAR



O Presidente angolano exonerou hoje o comandante-geral da Polícia Nacional, Ambrósio de Lemos, e o chefe da secreta militar, general António José Maria, nomeando respetivamente, para os mesmos lugares, o comissário-geral Alfredo Mingas e o general Apolinário José Pereira.

A informação foi divulgada hoje pela Casa Civil do Presidente da República, em comunicado à imprensa, adiantando que na exoneração do chefe do Serviço de Inteligência e de Segurança Militar, o chefe de Estado, João Lourenço, auscultou previamente o Conselho de Segurança Nacional.

Conosaba/Lusa



GUINÉ-BISSAU DESCEU UMA POSIÇÃO NO ÍNDICE IBRAHIM DE BOA GOVERNAÇÃO AFRICANA 2017


A Guiné-Bissau desceu uma posição para o 43.º lugar no Índice Ibrahim de Boa Governação Africana (IIGA), apesar de ter acelerado a tendência positiva, segundo o relatório hoje divulgado.

Apesar de ter perdido o 42.º lugar para a República do Congo, o país manteve a pontuação de 41,3 pontos num total de 100 pontos e é considerado estar em crescimento acelerado.

Segundo o relatório, o país tem vindo a registar progresso desde 2007, que acelerou nos últimos cinco anos.

O estudo de 2017 regista melhorias significativas nas categorias de Participação e Direitos Humanos e de Desenvolvimento Humano, mostra uma recuperação em Segurança e Estado de Direito, mas desaceleração em Desenvolvimento Económico Sustentável.

Os indicadores com melhor desempenho incluem a independência judicial, a investigação à corrupção, a participação da sociedade civil, a capacitação das mulheres na política, a integração regional, as infraestruturas de transportes, campanhas sobre saúde pública e tratamento de HIV.

No sentido contrário, estão os indicadores sobre o acesso à justiça, corrupção de burocracia, serviços da polícia, proteção contra a discriminação, participação política das mulheres, gestão orçamental, política fiscal e prioridades na redução da pobreza.

Lançado pela primeira vez em 2007 pela Fundação Mo Ibrahim, o Índice Ibrahim de Governação Africano (IIAG) mede anualmente a qualidade da governação nos países africanos através da compilação de dados estatísticos.

O objetivo é informar os cidadãos, governos, instituições e o sector privado com base em dados concretos e quantificados que avaliam a provisão de bens e serviços públicos e os resultados das políticas para assim estimular o debate sobre o desempenho da governação.

A informação é recolhida junto de 36 fontes oficiais, das quais quase um terço são africanas, tendo este ano aumentado para 100 o número de indicadores.

Estes são usados para criar 14 subcategorias, que, por sua vez, formam quatro categorias: Segurança e Estado de Direito; Participação e Direitos Humanos; Desenvolvimento Económico Sustentável e Desenvolvimento Humano.

Conosaba/Lusa

domingo, 19 de novembro de 2017

ONTEM, PRESIDENTE GUINEENSE ESTEVE EM BRUCE/BUBAQUE PARA ENTREGAR DONATIVOS

A Comitiva presidencial continua a percorrer o país para fazer as entregas do donativo do arroz (donativo da República Popular da china), as famílias camponesas afectadas pela seca. 

"Aproveitamos para agradecer a forma calorosa como a população nos recebeu" - Jomav




























REPÚBLICA POPULAR DA CHINA FAZ DOAÇÃO DE ARROZ À GUINÉ-BISSAU



A República Popular da China doou 1290 sacos de arroz à Guiné-Bissau que terão como destino 16 instituições sociais de caridade com sede na capital, Bissau, tendo o respectivo acto formal tido lugar terça-feira nas instalações da Presidência da República.

O embaixador da China, Jin Hongjun, disse no decurso da cerimónia que o donativo, no valor de dois mil milhões de francos CFA (cerca de três milhões de euros), ajuda a satisfazer as necessidades básicas da população.

“Entendemos que a agricultura é fundamental na Guiné-Bissau, que é um país agrícola e 80% da população é camponesa”, frisou o embaixador, para recordar que anualmente cerca de 60 guineenses beneficiam anualmente de formação ministrada por técnicos chineses, além de material agrícola que é doado.

Em resposta, o ministro da Agricultura, Nicolau dos Santos disse que o donativo reveste-se de importância capital para as organizações sociais que os irão receber, sobretudo as que apoiam as famílias de agricultores que sofreram prejuízos devido às inundações e seca que se registaram na Guiné-Bissau nos últimos anos. 

Conosaba/Macauhub

MUGABE FALOU E NÃO MENCIONOU QUALQUER SAÍDA.DO PODER


Robert Mugabe, com 93 anos de idade, foi destituído do partido que lidera há 37 anos.

Robert Mugabe terminou, este domingo, um discurso ao país onde não fez qualquer menção a uma saída da liderança do partido União Nacional Africana do Zimbabué - Frente Patriótica (ZANI-PF), conforme era esperado. Fontes próximas do presidente avançaram, inclusive, a agências noticiosas internacionais que este renunciaria à presidência do país.

Durante o discurso, porém, o estadista, que estava ladeado por militares, indicou ainda que irá presidir ao Congresso nas próximas semanas, ignorando que tem até amanhã para se demitir do cardo de Presidente, sob pena de ser alvo de um processo de destituição.

Recorde-se que Robert Mugabe, de 93 anos, foi este domingo destituído pelo seu próprio partido após 37 anos de liderança. Emmerson Mnangagwa, vice-presidente que foi demitido por Mugabe há duas semanas, será o seu sucessor.

Além de passar a assumir a liderança do partido, Emmerison Mnangagwa foi também indicado, pelo partido no poder, para as eleições presidenciais do Zimbabué.

No discurso, Robert Mugabe afirmou que, apesar da crise política que se vive nos últimos dias, "os pilares do Estado permaneceram funcionais" e que o país precisa "voltar à normalidade".

Apesar de a economia estar a passar por um "período difícil", o ainda Presidente do Zimbabué disse que "o Governo mantém-se comprometido em melhorar as condições sociais e materiais do povo" zimbabueano.

Na passada quarta-feira, as forças armadas detiveram Robert Mugabe, de 93 anos, e a mulher, Grace Mugabe, e garantiram o controlo de todas as instituições governamentais.

A ação político-militar teve as características de um golpe de Estado, uma vez que foram também detidos ou colocados sob prisão domiciliária grande parte dos membros do executivo.

Grace Mugabe foi também expulsa, "para sempre", do mesmo partido, bem como os ministros da Educação Superior, Jonathan Moyo, e das Finanças, Ignatius Chombo, próximos de Mugabe.

Conosaba/noticiasaominuto

NO DIA 17 DE NOVEMBRO, PRESIDENTE DA REPÚBLICA RECEBEU EM AUDIÊNCIA OS BISPOS DE DIFERENTES PAÍSES AFRICANOS

José Mário Vaz - Presidente da Republica da Guiné-Bissau recebeu em audiência os Bispos de diferentes países africanos, que se encontram no pais no âmbito de uma Conferência “Episcopal,” na qual discutem a vida religiosa nos respectivos países.




«MON NA-LAMA» PRESIDENTE DA REPUBLICA ESTEVE EM BAFATA PARA ASSISTIR A COLHEITA DO ARROZ EM CONTUBUEL



No passado dia 16 de Novembro de 2017, José Mário Vaz - Presidente da Republica da Guiné-Bissau, visitou a região de Bafata para assistir a colheita do arroz em Contubuel. 

Também a comitiva presidencial visitou os camponeses de Fã Mandinga e Campossa onde fizeram a entrega do donativo do arroz (oferta da República Popular da China) conforme prometido aos camponeses afectados pelas inundações.